As orelhas proeminentes ou orelhas em abano constituem a má formação congênita mais frequente da face. A cirurgia visa tratar as alterações da cartilagem da orelha, no seu formato, relevo ou posição, que são responsáveis pelo abano e geram, além do problema anatômico, problemas psicológicos e sociais aos pacientes. O objetivo final é colocá-la numa posição considerada normal e refazer seus contornos próprios, melhorando a auto-estima do paciente. Esta cirurgia é indicada para crianças a partir dos 6 anos de idade.

Procedimento Cirúrgico
A cirurgia é realizada com anestesia local no adulto e geral na criança. A cicatriz é posicionada na parte de trás da orelha, não sendo visível mesmo em pacientes com cabelos curtos ou que prendam o cabelo. As alterações da cartilagem da orelha são tratadas por meios de técnicas específicas, removendo, em alguns casos, o excesso de pele e reposicionando essa orelha em uma posição correta e natural em ambos os lados. A alta hospitalar ocorre no mesmo dia da cirurgia, após algumas horas de observação.

Pós-operatório
A dor pós-operatória costuma ser leve e facilmente controlada com analgésicos comuns. Após 2 dias são removidos o curativo e os pontos, quando necessário, são retirados até o 14° dia. É interessante usar uma faixa para dormir, durante 15 dias, evitando assim que movimentos durante o sono possam “machucá-las”. As orelhas tendem a ficar edemaciadas (inchadas) e hiperemiadas (avermelhadas) nos primeiros dias. Alterações de sensibilidade podem ocorrer, com normalização em algumas semanas. O paciente é orientado a não realizar atividades físicas e é preciso utilizar uma faixa modeladora tipo faixa de tenista por um período de 03 a 04 semanas. O resultado já é visível nos primeiros dias depois da cirurgia. A satisfação do paciente geralmente é muito grande, aumentando sua autoconfiança e estima.

Para mais informações sobre o procedimento faça o download do arquivo em PDF.

Veja também: